Através da realização de um cronograma tínhamos previsto durante o mês de Janeiro e o mês de Fevereiro realizar a pesquisa necessária para a realização da nossa assemblagem, que dividia-se em três diferentes tipos de pesquisa, a pesquisa de contexto teórico, a de contexto técnico/prático e a pesquisa de soluções análogas.
Durante o mês de Fevereiro e o de Março iríamos tratar da informação recolhida e começar assim a realizar esboços da nossa peça, segundo a pesquisa recolhida anteriormente.
Ainda durante o mês de Fevereiro e de Março realizamos os contactos necessários, ou seja, contactamos com a responsável pela biblioteca sobre a disponibilidade do local pretendido, que nos foi logo cedido, assim elaboramos um requerimento para a direcção, onde não nos foi colocado nenhum obstáculo. Realizamos também um requerimento a pedido de um computador velho pertencente à escola, para completar a nossa assemblagem.
No final de Março começa-mos a realizar o projecto em si, que se prolongou até ao inicio do mês de Maio. Começamos por realizar as bases das peças, o que se prolongou por três dias, o aperfeiçoamento dos pés da 1ºRépublica e a realização dos tampos prolongaram se por mais cinco dias. Os retoques duraram dois dias.
Já no mês de Maio foi-nos dado o computador necessário. A montagem da assemblagem foi realizada no dia 23 de Maio, onde irá ficar por algumas semanas. Pensamos que o cronograma foi respeitado e que consegui mos acabar a peça dentro do tempo previsto.

A primeira fase do nosso trabalho foi a escolha do tema, e todos os processos para chegar a uma questão central ao qual o nosso trabalho responde (“Como pode a arte demonstrar a evolução da sociedade e da sua capacidade de união, em termos interventivos?”), Seguidamente começamos a fazer pesquisas de materiais a usar no trabalho, do qual escolhemos ser maioritariamente madeira. Então, fizemos várias pesquisas, por exemplo, como envernizar e pintar madeira e algumas técnicas de transformação de madeira, depois pesquisamos sobre os próprios estilos que tínhamos definido de inicio, 1ª República, Pré e Pós 25 de Abril e Actualidade. Definimos o nosso local de exposição, para poder saber as medidas máximas da nossa peça, então procedemos á elaboração de esboços ao mesmo tempo que escolhemos alguns objectos representantes das várias épocas. Depois dos esboços e a parte teórica já prontas passamos para a fase final do trabalho, sendo a mais trabalhosa, a parte prática, onde fizemos a peça em si.
Os nossos objectivos para este trabalho foram cumpridos, pois organizámo-nos bem, como se pode concluir através da cronologia e fases, que já descrevemos. Tivemos que nos revezar entre nós para que a peça fosse construída, pois de inicio dividimo-nos em pequenos grupos consoante a pesquisa inicial, mas acabámos por ajudarmo-nos uns aos outros para que o projecto fosse concluído. O trabalho está concluído, mas com algumas alterações na configuração da peça final, na elaboração das “pernas” (da parte da 1ª República) que inicialmente teriam uns adornos em forma de “patas” que não foi concretizável devido à má escolha e utilização de materiais. Também tivemos que alterar um pormenor na parte pré e pós 25 de Abril, sendo que no centro da peça a abertura por baixo do tampo teve de ser alterada para duas aberturas onde se encontra actualmente o ecrã do computador e a baixo a máquina de escrever, pois devido as dimensões do ecrã tivemos mais espaço disponível do que o previsto na maqueta de nos esboços, mas foi um pormenor facilmente ultrapassado, por isso consideramos que tivemos sucesso.
A questão central do nosso trabalho é: “Como pode a arte demonstrar a evolução da sociedade e da sua capacidade de união, em termos interventivos?”, e a nossa peça pensamos que responde a esta pergunta por si própria, pois o próprio design da obra tem curvas, altos e baixos, e até mesmo as cores remetem para períodos “melhores e piores” da nossa história em quanto país e sociedade, por exemplo, começámos com um tom castanho na parte da 1ª República, para demonstrar algo mais tradicional e conservador, depois veio o tento pré 25 de Abril no qual governava Salazar, que está na parte decrescente da peça e se encontra pintado de preto, seguido de um degrade que contém verde, amarelo e vermelho, e vai “ascendendo” que é a parte do pós 25 de Abril, e a actualidade com tons de castanho claro que é um tipo de mobiliário que está bastante na “moda”. E assim pensamos ter conseguido demonstrar a nossa ideia e responder á pergunta.

Concluímos assim que este trabalho foi muito interessante, pois tivemos que desenvolver muitas competências logísticas, praticas e de desenvolvimento social. Tivemos que ultrapassar barreiras e dar o nosso melhor, o que foi gratificante para nós. Percebemos também que trabalhar em grupo e ter uma boa logística é difícil, mas ultrapassável. Sendo assim, podemos dizer que ficámos felizes com o resultado final, e com o processo de criação. Este trabalho irá ajudar-nos para um futuro trabalho ou emprego que tenhamos, o que nos beneficia e poderá até destacar no futuro.